Paula_C.jpg

olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo e tendências urbanas.

Estilo é liberdade para escolher: 12 marcas muito fashion e muito sustentáveis

Estilo é liberdade para escolher: 12 marcas muito fashion e muito sustentáveis

Ontem foi o dia da Terra, aquele dia em que celebramos a #MotherEarth com umas quantas hashtags e uns gifs divertidos, enquanto pensamos que poderíamos fazer mais. Enquanto isso, mais gases são libertados para a atmosfera, mais plástico é atirado ao mar, fazemos slurp numa palhinha e ficamos mais dois minutos no duche só porque sim.

na manhã seguinte abrimos o armário e continua o desfile, desta vez sob o argumento de que as marcas mais amigas do ambiente têm, na maior parte dos casos um design muito duvidoso ou que as que não exploram mulheres e crianças por uma malga de arroz são muito caras.

Permitam-me que vos diga, de forma directa que este pensamento resulta de ignorância, a mesma que eu sofro quando penso comprar alguma peça de roupa e não sei distinguir o trigo do joio, ou seja, as marcas recorrem a métodos de produção sustentáveis sem abdicar do estilo e preço acessível. Dizem algumas pesquisas científicas que a maior parte dos consumidores prefere não saber, fazendo associações muito negativas em relação aos que se preocupam com a sustentabilidade e a ética no mundo da moda. São os esquisitos, consta. Wake up call: do alto dessa moralidade está uma profunda - confortável -  ignorância sobre a vida de crianças exploradas para fazerem as vossas (e as minhas) #statementshirts. 

IMG_7430.JPG

Esta é também a semana do Fashion Revolution Week, um evento de moda sustentável, integrado no movimento global Fashion Revolution, um movimento de criadores e amantes da moda que acreditam que é possível manter o estilo sem explorar ninguém ou contribuir para a destruição planeta e, por isso, defendem uma mudança radical - revolucionária - na forma como usufruímos a roupa que vestimos. Porque,em boa verdade, todos temos de vestir alguma coisa. Por isso fui procurar e, uma vez que comprar online é um hábito cada vez mais comum, aqui fica uma (pequena) lista:

E se, além de comprarmos constantemente roupas novas, pensássemos em alternativas para as que temos? Comprar em segunda mão, alugar peças para ocasiões especiais, revirar o roupeiro colocando as peças que raramente usamos no topo, escolher peças que não usamos para vender, trocar ou dar-lhes uma nova forma. Como? Trocando roupa com amigos, personalizando algumas peças de roupa tornando-as mais trendy, costurar as nossa peças de roupa (ou pedir às amigas com jeitinho...).

Para quê, perguntam vocês, se temos tantas opções a baixo custo? 

Eis alguns números, escolhidos aleatoriamente: 

757 litros de água = 285 banhos

= um par de jeans

2720 litros de água = água para beber durante 3 anos

= uma camisa

10,5 milhões de toneladas = 30 x o peso do Empire State Building

= roupa deitada ao lixo nos E.U.A.

 

I rest my case.

Encontramo-nos no Fashion Revolution que começa já dia 23 de Abril?

IMG_7428.JPG
Vogue Arábia: sem preconceito e com muito bom senso

Vogue Arábia: sem preconceito e com muito bom senso

O luxo de poder usufruir Lisboa

O luxo de poder usufruir Lisboa