Paula_C.jpg

olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo e tendências urbanas.

Tibetanos: 40 anos a tornar Lisboa melhor

Tibetanos: 40 anos a tornar Lisboa melhor

Ainda a alimentação saudável não era moda

e a ideia de não comer carne uma extravagância já o restaurante os Tibetanos servia refeições vegetarianas. Com uma história que se confunde com a da nossa cada vez maior curiosidade, abertura e reconhecimento da sabedoria da cultura oriental, os Tibetanos são muito mais do que um mero restaurante, assumindo-se como um ponto de encontro sagrado para os praticantes da filosofia Budista. Tudo começou há 40 anos, de forma mais ou menos espontânea e com a criação de um templo budista que atraiu pessoas muito diferentes, algumas das quais interessadas pela filosofia Budista e que, voluntariamente, se ocupavam de diversas actividades no templo que se assumiu, rapidamente, como um local de partilha um espaço que, ainda hoje, nos faz sentir como se entrássemos num mundo diferente, tranquilo e acolhedor.

O jardim de Inverno, com a sua luz natural, faz-nos esquecer que estamos no centro da cidade, o sorriso dos vários membros da equipa faz-nos sentir em casa e, à medida que a comida vai chegando à mesa, ficamos a pensar que gostaríamos de levar a Chef para nossa casa.

Participei, a convite do restaurante, na celebração do ano novo Tibetano (coincidência, ou não, aconteceu exactamente no mesmo dia do ano novo Chinês...) e, para além da história, descobri os deliciosos pratos vegetarianos deste restaurante. Voltei no dia seguinte, em família, e continuei a degustação, escolhendo os pratos mais populares da ementa. Não desiludem e há, de facto, uma razão para serem os mais pedidos: é que são mesmo bons! Os momos com seitan (uns pastéis típicos Tibetanos) têm a dose certa de picante, permitindo a quem não aprecia essa intensidade comer até ao fim. Os filetes de quorn, feitos no forno, à base de microcogumelos garantem um sorriso a quem não gosta destas modernices de comer ser carne. E a teimosia em afirmar que são feitos de frango. Não são. Mas são muito saborosos...

De resto, apesar da decoração acusar a idade, este é um local excelente para fugir à bonomia com sabor a pimento e cravinho de alguns restaurantes vegetarianos, num ambiente que nos faz sentir em casa.

CPH: Copenhaga aqui tão perto

CPH: Copenhaga aqui tão perto

#LoveWhatYouDo é mais do que uma hashtag

#LoveWhatYouDo é mais do que uma hashtag