olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Férias hoje: o que levar

Férias hoje: o que levar

Todos os anos, todas as viagens, o mesmo problema: conseguir que tudo o que queremos levar caiba na mala. Começamos por pensar no que fará falta para terminarmos a eliminar o que achamos indispensável e que já não cabe. Na verdade, agora que estou de mala a tiracolo percebo que é muito fácil viver com menos de metade daquilo que temos no guarda-fatos. Boa parte do que temos em casa não faz falta, quando adoptamos um estilo de vida mais flexível, simples e despretensioso. Precisamos de muito pouco. O estilo é cada vez mais o nosso e o luxo cada vez menos óbvio: tempo e outros bens imateriais que definem exactamente, o nosso estilo. Contudo, continuamos a sentir necessidade de pequenos indispensáveis, guias de estilo que nos orientam e, simultaneamente, distinguem da multidão. Este é um mini-guia de estilo com as tendências deste Verão e do o que temos de levar na mala para férias na praia:

Amarelo: vestidos ou fatos de banho, o amarelo não é apenas a cor do sol, é a cor que dominou os desfiles de moda deste ano;

Chinelos: dedos de fora em chinelos de todos os modelos, padrões e feitios;

Ganga: um clássico, para usar em casacos e blusões nas as noites mais frescas;

Vestidos: leves, florais e brancos, um ícone do Verão;

Chapéus de palha: completam o look de praia e protegem do sol;

Power bank e bolsa impermeável: para garantir a bateria, tirar fotografias e ter todos os pequenos objectos arrumados num sítio só.

Estas são algumas das tendências mas, para mim, a verdadeira tendência é sermos fiéis a nós próprias, ignorando melancias em formato sorriso ou os flamingos na piscina se não for essa a nossa praia. Apanhar sol e mergulhar na água do mar, usar protector solar e hidratar a pele, comer e beber fruta da época, peixe assado e saladas, descomprimir e ocupar o tempo com nada. Porque o nada, por vezes, é a tendência e, esta tendência, é tudo!

 

 

Granado, I L U

Granado, I L U

60 anos. E então?

60 anos. E então?