olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Espinhos da emigração: perder

By LoveC.

É de bravo não apagarmos a existência de uma pessoa e a importância que ela tem, por esta estar fisicamente ausente. É de bravo. Porque amar e cuidar à distância é mais difícil do que amar e cuidar de pertinho. E às vezes nem o amor que é tão verdadeiro sustenta a distância. Porque dá trabalho, porque é exigente, porque põe à prova. 

A minha família e os meus amigos são bravos. E eu sou só grata porque estou, não estando. 

É que emigrar é muito mais do que a dificuldade de enfiar a vida em duas malas e viajar durante muitas horas. Emigrar traz dúvidas e medos, mesmo aqueles que temos para nós que são ridículos. Acho que todos os que partem têm, de uma forma ou de outra, medo de perder. Medo de perder o cuidado da família, a atenção dos amigos. Medo de perder o amor em que sempre vivemos. Eu tenho medo, ou tinha, não sei bem. Porque todos os dias a minha família e os meus amigos me fazem questão de mostrar que estou perto, não estando.

Eles são bravos! E eu sou grata. 

READ MORE

3 verdades sobre #socialmedia

3 verdades sobre #socialmedia

Meryl e o mito urbano da (des)igualdade de género

Meryl e o mito urbano da (des)igualdade de género