olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

5 horas

5 horas

As pessoas mais produtivas têm hábitos que as revistas, sites de notícias e plataformas motivacionais repetem à exaustão. Uma delas é começar cedo, a outra é eliminar o dispensável. E todos sabemos que essa é a parte mais difícil. Ou serão as partes?...

Tenho para mim que a procrastinação acontece porque passamos demasiadas horas no local de trabalho. Sim. Demasiadas horas.

Reparem: quando deixam andar e vão adiando uma tarefa não se esforçam para a executar e concluir antes do prazo? Não é nesses momentos que desligam notificações, colocam o telefone sem som e se concentram no que é, de facto, relevante (i.e., terminar a tarefa)?

A maior parte das pessoas afirma que trabalha melhor sob pressão e que, por essa razão, arrasta, até ao limite do aceitável, a execução de muitas tarefas. Contudo, também sabemos que sob pressão a concentração pode atingir picos mas a capacidade de análise diminui, bem como a eficácia de revisão e reflexão. Simplesmente porque deixa de haver tempo para isso e nos concentramos na conclusão da mesma. Inspirada por alguns relatos de empresas que diminuíram o número de horas do dia de trabalho, aumentando a produtividade, rentabilidade e satisfação dos empregados, decidi iniciar uma experiência: 5 horas.

Vocês sabem que sou uma espécie de freelancer - embora empregada por conta de outrem - que, na maior parte dos dias define o seu horário. O meu trabalho depende de concretizações (não necessariamente objectivos) os quais, com excepção de momentos presenciais definidos, podem realizar-se aqui ou quem qualquer parte do mundo. Por isso, auto-motivação, organização e responsabilidade definem boa parte dos requisitos para estas funções. Boa parte das quais também não tem horário definido para a sua realização. Porque sou eu a definir o que faço, quando e como faço, decidi fazer uma experiência e aplicar a regra das cinco horas. Faço 4 horas + 1 hora. E não é que resulta?

Em duas horas consigo, por vezes, fazer o mesmo que faria em quatro horas com interrupções, passagens pelos sites de redes sociais e muita conversa desnecessária. Eliminando o que não contribui para a realização da tarefa, espantem-se, a tarefa conclui-se mais depressa. Para quem está num open space é difícil ignorar os colegas que nos abordam, que desafiam para mais um café ou qualquer outra distracção. Não é impossível. O truque dos auscultadores e a palavra "não" (porque agora não posso interromper ou porque não me apetece) funciona e deve ser usado.

Alguns vão perguntar "para quê se tenho de cumprir as 8 horas que estão definidas?!"

Para aumentar a nossa satisfação pessoal e profissional, para nos sentirmos mais realizados e, consequentemente, mais felizes. Porque nas horas que sobram (3 horas) podemos fazer as compras lá para casa, pagar as contas, comprar roupa ou simplesmente ver as montras. Podemos estudar, passear qual voyeurs, ouvir música ou, porque não, criar um blog! 

5 horas. Para vivermos melhor!

OFFLINE

OFFLINE

Regras de ouro para chegar ao topo

Regras de ouro para chegar ao topo