olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

Amor sem livro de instruções

Amor sem livro de instruções

Deitar cedo a um sábado por pura exaustão. E congestão (nasal). Saber que, ao chegar à cama, ele vai baixar o estore, correr as cortinas, desligar a luz e deitar-se sem mexer a cama. Acordar, mais cedo do que todos, e ficar na cozinha a ler.

Manual de instruções?!... Não existe para nada, a não ser electrodomésticos, menos ainda para o amor. 

O amor é lindo e outros clichés espalhados em 15 pontos. O amor realmente é lindo, mas não é exactamente assim. É quase assim. Não existe o homem dos nossos sonhos porque a vida não é um conto de fadas como (continuam) a querer fazer acreditar às meninas e às solteiras. Porque para ele ser "o dos nossos sonhos" nós temos de ser a "dos seus sonhos". Aí está o segredo do sucesso. Não existem relações unipessoais, menos ainda, unidireccionais por isso, com ou sem elogios, com mais ou menos beijinhos, com família misturada ou sem ela, cabe a cada mulher (e a cada homem) perceber o que funciona para si. O que aceita e até que ponto aceita, o que deseja e o que não deseja. Dizer. Ouvir. Esperar. Nunca atacar. Acima de tudo, saber que aquela pessoa é para sempre, sem checklist. Porque quando é para sempre, podem aqueles quinze pontos estar a falhar. Ontem, hoje, na certeza de que amanhã vão estar todos bem. Sem listas. Com intuição. Ou será antes, paixão?

Parece-me que falta amar mais e pensar menos...

Ei-los que partem. Que fogem

Ei-los que partem. Que fogem

Assim?...