olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Embaixadora. And proud to be

Embaixadora. And proud to be

Primeiro o Observador. Agora a Lux Woman a fazer referência ao #bodyimagemovement, ao urbanista e ao facto de me ter tornado embaixadora deste movimento. Obrigada!

Não vou negar que sabe bem. Não! Sabe muito bem. Não. Mesmo bem! Não... Não é esta a melhor expressão. Qual será? Não sei, mas é fantástico perceber que há outros interessados no tema e que as mulheres, tal como são, serão cada vez mais. E mais fortes.

A história da Taryn tocou-me. Obrigou-me a pensar. A querer fazer parte. A passar a palavra. A mostrar que não somos o que parecemos. Ou que até podemos ser, mas não seremos apenas isso. Gradualmente, fui mudando o foco do urbanista. Adaptando-o em função daquilo que quero transmitir e desta necessidade de passar a palavra sobre nós, mulheres, a nossas piores inimigas e, tantas vezes, inimigas umas das outras.

Eles até podem ser grandes. Ou gordos. Escolham a designação que preferirem para designar um homem com peso a mais. Os amigos até lhes podem dizer "meu, 'tas gordo como o c*******". Mas nunca o fazem com os requintes de malvadez que permitem a uma mulher a dizer a outra "eu não usaria essas calças, mas tu é que sabes..."

Sim, serei sempre eu - no caso, cada uma de nós - a saber. Especialmente quando não vos pedimos opinião. O que acontece frequentemente. Mas também será cada uma de nós a querer maior aceitação e menor preconceito, maior auto-estima e menos crítica, maior partilha e menos inveja, maior empatia e menos bullying. Porque afinal, se os há de todas as alturas, porque não haver também, com saúde, maior diversidade de tamanhos sem que isso implique, sempre, um rótulo social? 

#happygirlsprettygirls #ihaveembraced #bodylove

Yoga? Não. Melhor. Yoga Suspenso...

Yoga? Não. Melhor. Yoga Suspenso...

Nem sempre a música é apenas música...

Nem sempre a música é apenas música...