olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

a relação perfeita.

Se querem ficar a conhecer um gajo, procurem casa. Se querem casar com ele, procurem casa. Se acham que é para sempre, arranjem casa. A seguir, mudem de casa. Correu bem? Não se esgatanharam, não gritaram coisas impossíveis de repetir? Ele chamou nomes à tua mãe, ao teu pai e a todos os elementos da família? Ainda o achas atraente? Então é para sempre.

A relação perfeita é aquela que não é perfeita. Relações perfeitas não existem. Sei que a minha não é. Aliás, qualquer coisa perfeita é sempre assim... a atirar para o entendiante... Pensando na relação perfeita - aquela que entendemos como perfeita, mesmo com todas as falhas que tem (deve ter) - nenhuma relação pode ser perfeita. Se for, não existem discussões e, sem discussões, não existem reconciliações. O que se significa que perderíamos de vista o maravilhoso make up sex, right?....

Eu cá já procurei casa. Arranjei casa. Mudei de casa. Voltei a procurar. A arranjar. A mudar. E já repetimos a dose. Só porque sim. Porque nem sempre se acerta à primeira. E tem corrido sempre bem. Com gritaria dos dois lados, mas sem nos esgatanharmos. Com nomes feios, mas sem envolver a família. Com atracção entre caixotes. Especialmente entre os caixotes. E se, tiverem a ideia genial de escolher um roupeiro que afinal é um closet - e que dá mais trabalho a instalar do que qualquer um que já tenham visto -, se ele o monta de ponta a ponta, refilando até afirmar que não pára enquanto não o acabar, então sim, missão cumprida. He's the one.

#happilyinlove #housemoving #newcloset

Fugir da fila não é o mesmo que fugir da guerra...

Fugir da fila não é o mesmo que fugir da guerra...

Life without sugar. Yes, we can!

Life without sugar. Yes, we can!