olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Cueca(s)

Cueca(s)

A palavra é feia. Não gosto da palavra cueca. Ou cuecas. Mas é essa a palavra para designar... cuecas, essa peça de roupa interior que cobre a parte inferior do corpo. Jamais a definiria de forma tão inócua quanto o dicionário Priberam, mas a verdade é essa.

Roupa interior para a parte inferior do corpo. Serve para tapar. Supõe-se confortável. Coisa que o asa delta, o fio dental, a tanga ou o que quiserem chamar àquela peça que cobre a parte inferior do corpo e que fica amigavelmente - ou não - entre duas bochechas, não é.  

Pode a cueca ser fashion? Pode. Obviamente. E durante muito tempo a cueca da avó não teve esse estatuto. Até agora. O plano para hoje era outro, mas não resisti a puxar pelo assunto, depois do Observador ter questionado "o fim da tanga".

Tinha planeado escrever sobre denim, jeans e outras tendências em ganga, mas lembrei-me que, sobre cuecas, há duas situações igualmente más: o fiozinho asa delta que espreita, ultrapassando o limite dos jeans, ou as marcas de uma cuequinha da avó num vestido. 

Vistam o que quiserem, mas mantenham a roupa interior no interior e, de preferência, invisível. Não há nada mais sexy do que fazê-los imaginar o que não está (literalmente) à vista... Mesmo quando depois os surpreendemos com a chamada cueca até ao pescoço. Confiança e atitude. That's what knocks them out!

Fotografia by Eric Wüstenhagen (e não, não é o meu estendal...)

Fotografia by Eric Wüstenhagen (e não, não é o meu estendal...)

 

#CuecaAvóRules #LongLiveTheBigPanties #SacoDePão

o bom, o mau e o vilão

o bom, o mau e o vilão

Comer bem (.)