olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

style

Tenho sempre dúvidas sobre as tendências e nem sempre me apetece segui-las. Não faltam frases feitas sobre a moda e o estilo. Acredito que o estilo somos nós que o criamos, a partir daquilo que outros criam para nós usarmos. 

As tendências apontam para as mini-bags. Não vou adoptar. Gosto de conseguir meter a mão na mala. Oversized são muito mais eu. Por falar nisso, os óculos de sol serão assim. Ainda bem. As boca de sino, para mim, podem ficar nos anos setenta para sempre. A não ser que estejamos a falar de uma calça estilizada, num tecido mais nobre do que a ganga, para usar com saltos muito altos. Isso é outra coisa. Culotes. Já ouviram falar? Consta que são a peça statement do momento, mas só me fazem lembrar as saias-calça que foram a peça statement algures na minha adolescência. E que eu, estranhamente, adoptei. Curei-me. Ou saia, ou calça. Sem meio termo. Atacadores nos vestidos e nas mangas das blusas... Tive uma blusa assim, que teimei em abandonar. Defeito? Tinha de segurar os laços enquanto comia, para evitar acidentes. E é difícil dar um laço bonito quando temos duas mãos esquerdas... Voltaram as mules, depois de uma década e de eu pensar que estariam enterradas para todo o sempre. Já foram o it-shoe, há uns anos e, nessa altura,  acabei por ceder porque, provavelmente, ainda não tinha descoberto que sim... podemos dizer não às tendências. Macacões. Comprei um antes do Verão passado e outro nos saldos de Verão. Não arrisco a ir às lojas, poderei sair de lá com mais dois. Ou três. Peça de eleição para esta estação. Franjas? NOT. Not for me... O mesmo se aplica ao vestido comprido. É sempre demasiado comprido para quem não tem 1,80cm de altura. Nos pés, as sandálias gladiador. Podem ir com as franjas e as mules... Felizmente os sneakers estão em alta. De outra forma, arriscaria a andar descalça.

#style #trends #fashion

so?

Comer. Orar? Amar.