olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

coulda, shoulda, woulda

Hambúrgueres. De carne. Peixe. Vegetarianos. Vale tudo. Pão de centeio. Pão Brioche. Pão de Hambúrguer. Bolo do Caco. Não sei o que aconteceu para o bolo do caco ter sido descoberto tão tarde. Esta pequena maravilha da ilha que só se saboreava atravessando o Atlântico até à Madeira tinha o seu Q de especial. Só havia lá. O sabor era inigualável. A bolo do caco. Um pouco como as lapas... Agora, o bolo do caco serve para tudo. As lapas não. Ainda bem. Serve especialmente para acompanhar hambúrguer. E, se há os que garantem (quase) o sabor original, outros nem por isso.

O bolo do caco quer-se num estranho limbo entre o  estaladiço e o não-estou-torrado-ou-queimado, com a manteiga de alho a derreter, quase - quase - a escorrer pelos dedos. Nunca escorre. O (pouco) miolo do bolo do caco deve ser suficiente para a absorver. Bolo do caco está sempre bem cozido mesmo que não pareça. E tem sempre um sabor (ainda mais) especial se for cozido em forno de lenha. Tenho saudades desse bolo do caco. Tenho comido bolo do caco com tudo. Geralmente não sabe a bolo do caco.

A batata doce também ganhou um súbito protagonismo. Nem sempre positivo porque não é o mesmo do que cozinhar batata e, por isso, tantas vezes se apanham batatas moles. Ou estilo borracha. Porque a batata doce é bastante mais temperamental do que a batata. Foi o caso, apesar do hambúrguer de salmão estar saboroso...

#burger #foodieteller #tasty

Chucks & Co.

Chucks & Co.

Not #Fun. At All.