olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

cool kids

Para além de locais muito cool como o Lux, nunca tinha visto um Dj actuar. Os live acts não eram uma cena dos meus tempos de adolescente. As bandas davam concertos. Os Dj’s raramente saíam da cabina.

Também antigamente, quando os meus pais eram pais e eu era filha, não era nada cool os pais fazerem o mesmo que nós, adolescentes, fazíamos. Era uma regra. Os pais eram velhos e faziam coisas chatas. Os outros, menos chatos, eram raros e eram os pais hippies, artistas ou excêntricos. Mas, como a geração seguinte reage sempre à que a precedeu, criou-se uma certa tendência para fazer os filhos acompanhar os pais. E não estou a falar de jantares em família. Os pais de hoje tem um estilo de vida tão ou mais cool do que o dos seus tweenies ou adolescentes. A diferença está no poder de compra: é muito comum vermos pais e filhos, ou os pais e os filhos dos outros nos mesmos eventos. Não sei se nos recusamos a envelhecer ou se os 40 são mesmo os novos 20, gozados com mais estilo. Bons restaurantes de sushi enquanto eles vão aos de all You can eat e zonas VIP nos concertos enquanto eles estão na molhada. Comecei por estar na molhada e ainda gosto. Mas já me sabe ficar confortavelmente a curtir a música numa zona mais recatada. 

Só não entendo alguns pais que vejo nos concertos, sentados. Não conhecem a música, estão no Facebook e até o resumo do jogo de futebol conseguem a ver. No meu tempo o pai de alguém trazia dois ou três e o pai de outro vinha buscar. Agora ficam. Mas não curtem. Ou curtem à sua maneira… Há, de facto, uma razão para os putos terem migrado para o instagram e snapchat... Estão todos no Hardwell, com pais ao lado, mas em mundos diferentes....

#music #Hardwell #dance

Italian treats

morning run