olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

Brincar. É um direito!

"Já não brinco. Já não solto uma gargalhada. Acho as pequenas brincadeiras muito parvas. Não percebo como se pode brincar quando há tantas coisas sérias e que nos preocupam na vida".

Infelizmente, parte dos adultos é assim. Eu também já não brinco. Ao faz de conta. À apanhada. Às escondidas. À macaca (com pena...). Mas não deixei de brincar. Acho mesmo que o pior que pode acontecer a um adulto é perder a vontade de brincar, de se rir de si próprio, da gargalhada solta a doer a barriga. Deixar de ter essa capacidade de abstracção que o faz viajar por mundos nunca antes explorados e regressar vitorioso. De pegar num monte de peças e fazer uma cidade, do nada inventar instrumentos e tocar, com um lenço fazer uma princesa e com um lençol um castelo.

É tudo muito bonito mas somos corrompidos por esse estado a que chamam idade adulta, que é tudo menos divertida. Cilindrados por aquilo a que chamam rotina, que se instala e cristaliza em cada um de nós afastando tudo o que antes gostávamos de fazer. Piora se tivermos filhos e não formos capazes de sair da nossa zona de conforto, falar a sua linguagem e brincar à sua maneira. Ou, pelo menos, atingir o limiar da adaptação que nos faz brincar cheios de vontade e os deixa felizes por lhes darmos atenção. Total. Sem telefones. Televisão. Jornais ou qualquer outra forma de entretenimento que os adultos simplesmente não dispensam.

Não brinco a tudo, confesso. E devia brincar mais. Todos os dias. Às princesas. Às viagens. Às fadas. Às escolas. A fugir das ondas. A contar as estrelas. Ao faz de conta. Faço de conta que gosto e acabo a arrumar-lhe o quarto. Quando me apetece mesmo brincar, brinco. Construo casas e carros e cidades com Lego. Dança(mos) e escolhemos músicas como estrelas pop. Vestimos roupas e experimentamos vários estilos nas lojas. Fazemos pulseiras, colares e pintamos as unhas de vermelho. Desenho este mundo e o outro que ainda não conhecemos e pinto-o com muitas cores. É tão bom...

Comer bem (.)

Did U say #pink?