olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

com sementes não parece (tão) mal...

Note to self: nunca entrar numa loja com fome. Nenhuma loja que venda o que quer que seja que se possa comer. Nunca. A não ser que queiramos comer o que lá vendem. A não ser que nos queiramos deixar seduzir pelos aromas, pelas formas e cores daquilo que não devemos comer. Entrei para comprar pão. Coisa mais simples não há. Olhei para um tabuleiro. Perguntei: croissant philadelphia? O aspecto era fenomenal... Croissant ao estilo francês com um resquício de philadelphia a sair e pedacinhos de fiambre a espreitar, cobertos com sementes de sésamo, para nos fazer crer que tanta gordura pode ser saudável.

Não é, mas sabe bem. Muito bem. Demasiado bem.

Explicaram-me o que era esta nova produção da Sacolinha, já com o croissant entre pinças para ser colocado num saco de papel... Sabem aquela situação em que queremos muito dizer não mas o nosso corpo está todo ele a dizer que sim, mas que não, não podemos aceitar, ao mesmo tempo que é falta de educação dizer que não a uma tão simpática e espontânea oferta? E portanto já estamos a sorrir, a acenar com a cabeça e a agradecer, desajeitadamente, a amabilidade, com o outro lado do cérebro vermelho de fúria enquanto saímos com o pão de sementes - porque é bom para o organismo - e o croissant que não é nada bom para o organismo - mas também tem sementes. Sabem? Pois, Foi assim mesmo. Adoro comprar pão na Sacolinha. São anos disto. O pão, os scones, o pão de Deus, o atendimento. A amabilidade e simpatia. A ligação entre a tradição e a modernidade. A reinvenção. E o croissant. Não me ficou de emenda. Amanhã faria o mesmo...

#croissant #seeds #diet

do etéreo eterno

Era uma vez o amor...