olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

Say it again? #beachbody?

Say it again? #beachbody?

Na maior parte do tempo penso que todas as pessoas gostam de desporto e exercício. Depois, leio publicações e comentários e percebo que, para muitas, o exercício é um sacrifício enquanto para outras, algo que nem consideram. Por isso, enquanto corria, pensei nas razões que nos podem levar a gostar tanto de praticar exercício físico. Já sei que é viciante. Mas só vicia depois de se começar. Então, porque razão uns sentem tal ímpeto e outros não? Há estudos sobre isso?

Não sei se para quem não gosta esta é a tradicional conversa de xaxa, aquela que dá sono antes mesmo de começar, mas na verdade sou apologista de mente sã em corpo são. Porque o exercício estimula a todos os níveis tornando-nos mais produtivos. E é quando me sinto mais cansada que o exercício é mais eficaz. Ao ponto de, se o treino for à noite, por vezes ser tão eficaz que, depois do duche, caio para o lado a dormir...

Somos mulheres normais. E as mulheres normais comem assim-assim. Com desvios à regra, com pecados aqui e ali. Com falta de opções. Sem paciência para as opções. A correr entre uma coisa e outra. Somos mulheres e mães, profissionais e amigas, filhas e vizinhas. Em relacionamentos. Entre relacionamentos. Sem relacionamentos. Com tempo. Sem tempo e sem paciência. Por isso, tantas vezes o exercício passa para décimo primeiro plano. Lá bem no fim da lista. Depois chega Maio. E o sol e as conversas de #beachbody, cremes milagrosos, dietas e apertos. 

A actividade física não é só para manter o corpo tonificado, é para manter o corpo saudável. Um corpo saudável faz de nós mulheres mais felizes e as mulheres felizes são mais bonitas.

Não sejamos hipócritas, todos queremos gostar do que vemos, quando olhamos ao espelho.

#workout #routine #fit

Era uma vez o amor...

as paredes da cidade estão cada vez mais na moda

as paredes da cidade estão cada vez mais na moda