olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Abre-te

No sábado fiz  3 coisas diferentes. 1: parei o carro e segui de comboio. Há anos que não andava de comboio. Aqui, na linha que tantas vezes usei. Para um lado. E para o outro. Mas os transportes, apesar das suas limitações, são libertadores. Podemos relaxar. observar, pensar. À entrada da estação de Oeiras encontrei esta inscrição. Não resisti a fotografar o graffiti que resume, numa palavra, tudo o que vos quero dizer.

Durante vários dias estive submersa em comida. Alimentos. Alimentação. Cozinha. Tendências. Experiências. Sabores. Cheiros. Paladares. Para concluir no que a comida e cozinha diz respeito, há um mundo por descobrir.

2: nova "abertura". Passei a tarde cheia de Sangue na Guelra, que é o mesmo que dizer que arrisquei redescobrir uma certa intelectualidade culinária no simpósio que integra o evento Peixe em Lisboa. Adorei. Segui a recomendação que li na estação de comboios e não só abri a mente como também abri, literalmente, a boca, para provar coisas (mesmo) novas.

Somos muito conservadores - e poderia parar por aqui - mas continuo, porque me refiro à comida. Não tentamos cinco vezes. Olhamos, muitas vezes, com repugnância e não experimentamos. Eu também sou assim. Olfato apurado (talvez até demais), muitas vezes não preciso provar para saber que não vou gostar. Será? Será que posso confiar assim tanto no olfacto?

3: Abri a mente. E a boca. E experimentei coisas novas.

 O melhor estaria para vir. Um showcooking com chefs Sangue na Guelra no qual chefs convidados demonstraram novas técnicas, conceitos e sabores em torno de ostras. O resultado não se descreve em palavras…

Showcooking Sangue na Guelra (Ostraria)

Showcooking Sangue na Guelra (Ostraria)

Ostraria, revisão no conceito e no sabor das ostras

Ostraria, revisão no conceito e no sabor das ostras

in between the blue and the dream

#ImNoAngel #ChooseBeautiful