olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

The devil's in the details

The devil's in the details

mesmo que muitas vezes digamos que o que interessa é o sentimento...sejamos sinceras, nada melhor do que ser surpreendida com uma prenda.

Nao. Não. Não.

Definitivamente, não é por aí. Embora também seja. O que eles não sabem é o quanto nos rimos, em surdina, com a repetição dos clichés que teimam em não abandonar e que afastam mais do que aproximam. Primeiro, nem todos os homens são de dar prendas. Segundo, são poucos os que conseguem um grau de atenção e detalhe capaz de ouvir, perceber e registar para, então, surpreender. Terceiro, também não há muitos com a generosidade de dar de si, materializando esse comportamento e atitude. Posto isto, o melhor é estarem quietos e deixarem-nos tratar do resto. Que é o que, invariavelmente, acontece. Mesmo quando exibimos, orgulhosamente, algo que namoramos, escolhemos, compramos e nos deixamos convencer que foi tudo obra dele. Não foi. Se têm um capaz de o fazer, conservem-no. Poderá não ser o melhor namorado mas será sempre alguém que gosta de nós. Isso, não tem preço. Porque as melhores prendas não se compram. Os melhores presentes são aqueles que nos dão aqueles que sabem tudo sobre nós mesmo quando nada dizemos. Os que nos adivinham as cores, formas e feitios, que terminam as nossas ideias, que não compram nada e nos dão mais do que aquilo que existe nas lojas.

Diz o artigo que há 12 prendas que uma mulher deseja receber pelo menos uma vez na vida. Talvez seja verdade. Antes de perceber o que é a vida. Depois, opta por se mimar e deixar de esperar que ele lhe ofereça o que quer que seja.

Uma jóia? Sim. Se for um anel de noivado, embrulhado sem os eternos bolos e restantes subterfúgios das comédias românticas, se for um acto de amor e não um apontamento no calendário, então sim, uma jóia como está poderá fazer derreter o mais duro dos corações.

A carta de amor foi substituída pelas sms com a palavra "amo-te", corações nas fotografias do Instagram e emojis apaixonados para terminar uma mensagem no Whatsapp. Já não conhecemos a caligrafia uns dos outros - e a caligrafia diz tanto sobre cada um de nós - por isso sim, uma carta pode fazer toda a diferença. Ou a eterna rejeição.  

 

As velas... As velas são uma manobra perigosa, equivalente a uma sala cheia de balões aos corações... É bonito, incendeia a alma e... Pode incendiar tudo o resto. Inspirem-se em coisas mais modernas, como a Samantha Jones cobertura de sushi.

 

Fim de semana romântico um presente? Não. Fins de semana, dias de semana ou semanas inteiras para namorar são noblesse oblige.  

 

Tarefas domésticas? Como um presente? Uma recompensa? Não. Mesmo. As tarefas dividem-se. Não se presenteia mulher nenhuma fazendo aquilo que supostamente é da sua responsabilidade. Porque não é. 

 

Um álbum de recordações. Giro. Mas altamente improvável. Vamos guardar Qr Codes, print screens das reservas de hotel ou dos talões de embarque adicionados à wallet do smartphone? Mandamos imprimir tudo o que comemos, visitamos, exploramos e que publicamos nos sites de redes sociais? Pois... 

 

Lingerie sexy. É giro. Mas todos sabemos que eles preferem sem. Lingerie. 

 

"O" concerto. Estamos, finalmente, no bom caminho. Já dizia o Rui Veloso... "Não se ama alguém que não ouve a mesma canção"... 

 

Pequeno Almoço na cama... Um clássico que fica sempre bem, especialmente se, depois, continuarem na cama. Se, mais tarde, ainda na cama, mandarem vir pizza para matar a fome e dormitar em conchinha, todo o dia, entre uma e outra coisa, televisão sem som a debitar notícias, música a tocar, som tão baixo quando o volume dos nossos pensamentos que se limitam a estar ali. No momento.

 

Uma noite no hotel. Sim! Juntamente com o tal fim de semana romântico? True must have. 

 

A mensagem no espelho da casa de banho? De preferência no hotel, depois daqueles banho prolongados e, digamos, apaixonados... 

 

Uma cena romântica. Sem cenas românticas não há namoro ou relação. Se ele cozinhar para nós... Isso é perfeito e prova que afinal, as prendas são todas as que eu disse: sem preço... 

a sério, é isto?!

a sério, é isto?!

Faz o que eu digo. Não faças o que eu faço.

Faz o que eu digo. Não faças o que eu faço.