olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

To love is to be

To love is to be

Sabem aquelas relações especiais em que eles são são tão diferentes que damos por nós a pensar coisas impossíveis de tão feias que são - mas que a natureza humana nos permite? Frases como "como é que ele anda com aquele batoque" ou "o gajo é mesmo feio, não sei o que ela vê nele" já passaram pela cabeça de algum de nós e, a Jazzy, sabe isso. A diferença é que aprendeu a lidar com a diferença e a aceitar que sim, um homem muito fit - o seu homem super fit - pode amá-la com as suas curvas e contra-curvas e não há mal nenhum nisso. Nada a estranhar porque nos apaixonamos por aquilo que vemos mas só podemos amar aquilo que está além do que está à vista. Certo?

A história é simples: apaixonaram-se e estão juntos há 14 anos. Ele é fit, mestre do ginásio e ela não. Está, aliás, bastante longe desse conceito de corpinho sarado. E então? Não podem amar-se independentemente do aspecto físico?... Podem!

Ela sempre acreditou que sim mas sempre teve medo das reacções dos outros, do que poderiam pensar. E começou a ser verdadeiramente feliz quando os ignorou e percebeu que ele gosta dela por aquilo que ela é. E isso inclui as suas curvas, estrias e pneus. É mais do que inspirador. É o que deveria ser a vida. Love ya!

Crop tops: avançar sem medo(s)

Crop tops: avançar sem medo(s)

Corpo perfeito

Corpo perfeito