olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Curly, Curvy, LOVELY!

Curly, Curvy, LOVELY!

Depois de tantos textos sobre a imagem que fazemos do nosso corpo  e da interligação entre essa percepção que nos dá o espelho e a que criamos de nós nós enquanto pessoas tenho sempre receio de me repetir. Por outro lado, há casos em que nem com repetição as pessoas se convencem do seu valor. Porque passaram a vida convencidas da sua pouca beleza e, por consequência, do seu pouco valor. Não sou psicóloga mas não é difícil perceber a relação entre a auto-estima e a confiança. Na verdade, independentemente do cabelo que temos, estamos sempre mal. Porque é liso e não tem volume. É encaracolado e tem volume a mais. Os caracóis são indomáveis, os fios são tão finos que não consigo sequer prendê-lo com um elástico.

O cabelo perfeito não existe, por muito que vos digam que sim.

Como também não existem corpos perfeitos, por muito que queiramos pensar que sim. Importa que consigamos aceitar o que somos e como somos. Passamos parte do nosso tempo a tratar bem os outros e, quando nos fechamos, sozinhos, frente ao espelho, somos cruéis. O grau de exigência e reprovação individual não tem comparação com a relação que estabelecemos com os outros e o mundo. Os caracóis. A cor do cabelo. A pele. Os pêlos. Os refegos. As unhas. Sempre negativo. Quando foi a última vez que ouvimos alguém dizer que o cabelo é liso ou encaracolado mas.... (preencher com frase positiva).

O meu é liso, não tem volume, aborrece-me todos os dias mas faço dele o que quiser. Entenderam a positividade?... Mais... O facto de ser liso permite-me encaracolar sempre que queira ou esticar para o tornar completamente L I S O. Posso prender com elástico (muito forte) e, mesmo passando parte do dia a refazer o penteado, posso. Gosto da cor. Difícil de definir, tantas vezes confundida com sunlights. Diverte-me quando perguntam onde fiz ou quando um cabeleireiro inexperiente afirma que preciso fazer as raízes!!

Mesmo que o vosso cabelo seja difícil, mesmo que tenha problemas, antes de partirem para uma relação com duas pedras na mão passem os dedos pelo cabelo. É vosso. Faz parte da vossa identidade. Podem cuidar, tratar, fazer pequenas mudanças. Há uma tendência muito grande para associar a beleza e sensualidade ao cabelo comprido mas, se tivesse coragem, cortava-o curtinho, porque é tão ou mais sexy do que longos cabelos caídos pelas costas... Nem todas as pessoas têm de ser louras e de cabelo comprido, morenas de caracóis ou... Aceitem a vossa individualidade com base nas características que vos definem e aprendam a olhar para essas mesma características como uma vantagem e nunca como um problema. Tudo o que possa ser resolvido com um corte, um penteado, uma coloração ou um gancho, pois que seja. Usem o que têm disponível para melhorar e nunca para anular. Não se esqueçam que aquele cabelo lindo que estão a invejar pode ser, também, a maior decepção para outra pessoa.

Coisas de comer

Coisas de comer

Sardas

Sardas