olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

Sapatos que fazem doer os pés?...

Sapatos que fazem doer os pés?...

Na vida há sempre aquele momento em que tudo passa a fazer mais sentido, em que deixamos de questionar e também não aceitamos mais questões. Todos já tivemos aquele momento como é que eu ainda não tinha percebido isto?... Eu também.

Recentemente decidi que não voltaria a usar sapatos. Ou melhor, usaria quando e se me apetecesse, ou se a situação, de facto, exigisse um upgrade no look. Uma cerimónia ou uma noite especial. Apenas isso.

Ao longo da vida fui acumulando sapatos. Uns faziam doer-me os pés, os outros apertavam, outros caiam dos pés obrigando-me a chinelar... Um martírio. Fui do mais caro ao mais barato procurando soluções que estiveram sempre à frente dos meus olhos. Paralelamente aos sapatos, os ténis. Sapatilhas. Sneakers ou lá como lhe chamam. Comecei pela rebeldia dos chucks porque não chocavam ninguém. Ou chocavam, mas as pessoas faziam de conta que não. Gradualmente fui avançando em direção ao ponto do não retorno, em que a colecção já permite conjugar todo o tipo de roupas com este tipo de calçado trendy e muito, muito confortável. Se posso estar assim,  porquê forçar algo que não corresponde, efectivamente, à pessoa que sou ou, quem sabe, em que me tornei?

Sempre gostei de roupa desportiva. Ainda a moda do athleisure não se tinha instalado e já andava com roupa desportiva em contextos inesperados. Uma das minhas melhores fotografias da adolescência é com uma sweatshirt oversized do meu irmão. E, em tantas outras, há uma mistura de conceitos e estilos, sempre com inspiração desportiva.

Adoro muitos dos meus sapatos: os loafers de pelo, as sabrinas em pele de cobra, as outras sabrinas que parecem ballerinas, os stilletos, os botins prateados... Como em tudo na vida, sem fundamentalismos, com bom senso e adoptando a ideia de que, sapatos, nem sempre, nem nunca mas, agora, mais nunca do que sempre!

 

Eu posso ser (mais) bonita

Eu posso ser (mais) bonita

Vou ser uma BRAZA ♥

Vou ser uma BRAZA ♥