Yoga pose PC.png

urbanista

a vida como ela é

Maminhas

Maminhas

As minhas maminhas são sagradas.

Assim como são as tuas. As nossas.  

As minhas são pequenas, daquelas que, supostamente, nem se fazem notar mas que abanam quando corremos ou se evidenciam, quando arrefece. 

Não me imagino a viver sem as minhas maminhas. Não tanto pelo valor simbólico que a sociedade lhes atribui mas por aquilo que significa viver ser mamas. Ou viver apenas com uma.  

O cancro ainda é um tabu e o estigma associado a esta doença faz com que, mesmo falando abertamente das suas características, seja preferível fazer que não estamos a ouvir. Consta que estamos automaticamente condenados, mesmo quando empreendemos a batalha. Parece-me demasiado bélico e, até, um pouco medieval. Na verdade, o Cancro da Mama é uma espécie de bicho papão para todas as mulheres, mesmo que outro tipo de cancro seja ameaça equivalente. O cancro do colo do útero é menosprezado, tal como o cancro da mama no homem. É preciso falar, explicar, educar, consciencializar porque o cancro não é aquela doença que só acontece aos outros. Só acontece aos outros até que nos acontece a nós, com sintomas muitas vezes silenciosos que nos apanham de surpresa. Ou a alguém tão próximo que é quase como se uma parte de nós também estivesse doente. 

O estigma faz-nos passar de pessoas a coitadinhos, perante a irreversibilidade da vida. Nesta aparente aleatoriedade também há responsabilidade, apesar de tantos exemplos contrários, de quem, por exemplo, morre de cancro do pulmão sem nunca ter fumado.

IMG_9167.JPG
IMG_9166.JPG
IMG_9168.JPG

Contudo, para além das precauções todas que ninguém tem e que incluem a alimentação saudável, o exercício físico, não fumar, não beber e, quase não viver porque tudo mata, em relação ao cancro da mama há algo que TODAS podemos fazer: a apalpação mamária (ou a visita regular ao ginecologista) pode fazer a diferença entre ter, ou deixar de ter maminhas... Por isso, no dia mundial do cancro da mama, a mensagem é muito simples: apalpem-se!

Pode salvar-vos a vida... 

 

Girls who are boys... who love boys to be girls...

Girls who are boys... who love boys to be girls...

Blaya: uma jóia de carisma digital

Blaya: uma jóia de carisma digital

0