olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Blaya: uma jóia de carisma digital

Blaya: uma jóia de carisma digital

Há pessoas que não conhecemos mas das quais gostamos imediatamente, porque têm uma espécie de estatuto de figuras públicas, expressam-se publicamente e parte do seu trabalho depende de uma relação que estabelecem com outras pessoas - aquelas a que chamamos o público - mas, sobretudo, porque transparecem verdade. E a verdade é sempre melhor do que os filtros que as aplicações de edição de imagem e o instagram tornaram tão populares.

A Blaya é assim. Ou, pelo menos, comigo foi assim. 

Sei quem é há bastante tempo mas só recentemente a conheço pessoalmente. Porque acompanhei sempre os Buraka Som Sistema, dancei (ou tentei) nas suas aulas na Jazzy Dance Club, em Santos, e fui sempre acompanhando o seu percurso. Mas não é por isto que a Blaya está hoje no urbanista. Está a Blaya, como já esteve a Carolina Deslandes e como estará qualquer pessoa à qual consiga chegar e que seja vítima da língua afiada e despropositada de alguns programas de televisão. A Blaya poderia estar aqui, por todas as razões relacionadas com o corpo, a aceitação e a imagem corporal. É uma das melhores pessoas para falar sobre isso porque se aceita e sabe usar as palavras certas para que os outros aprendam a aceitar-se. Mas não, está aqui porque foi mãe (serão estes os alvos preferidos do Passadeira Vermelha?...) e alvo de uma mentira aparentemente inconsequente, sobre uma opção pessoal, que partilhou publicamente para que mais pessoas conheçam esta marca que cria pequenas jóias a partir do leite materno...

Maminhas

Maminhas

Moda Lisboa: fast trends are so out

Moda Lisboa: fast trends are so out