olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

Um emoji para mim, outro para ti

Um emoji para mim, outro para ti

Enviamos mais de mil milhões de emojis por dia. A pergunta impõe-se: representam-nos?

Pois é. Parece que NÃO.

"Não há profissões femininas, a não ser que ser noiva conte..."

"Ciclismo, bicicleta de montanha, basketball. Onde estão as versões femininas?..."

"Surfista. Afinal há uma rapariga surfista. Não... É apenas um rapaz de cabelo comprido"

Nós, raparigas - nós mulheres adultas também - adoramos emojis e, no entanto, não há emojis que representem aquilo que somos ou o que fazemos. Porquê? Serão apenas homens que criam os emojis? De onde nascem os emojis?

Estou com elas e voto na criação da super badass girl!

O vídeo não é publicidade embora a produção seja da Always. Para quem não conhece, a Always produz algo tão comum como os famosos Tampax e, à semelhança de outras marcas, abraçou um conceito e uma causa. Não nos vende produtos de higiene feminina, vende informação e a ideia de que, juntas, podemos alcançar mais. Mulheres unidas, always. Não é o slogan da marca, mas poderia ser.

 

 

Embrace é isso mesmo: abraçar!

Embrace é isso mesmo: abraçar!

What else, Trump?

What else, Trump?