olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida.

Ziggy with it?

Ziggy with it?

© Movement Foundation

© Movement Foundation

Quando li título to a primeira coisa que me ocorreu foi o nananananana do Gettin' Jiggy with it (Will Smith, 1997) cujo refrão ficou até agora. Este vídeo restaura a confiança perdida de muitas mulheres que se escondem com tops e camisolas nas aulas de ginástica, na dança ou quando correm. Na praia, que se encolhem até tornar as costelas salientes - e portanto, percebermos que têm a barriga encolhida, ou que escolhem sempre peças de cintura subida para conter aquela jelly belly que detestam. 

Nota: mesmo quem tem uma flat tummy - aquela barriga que muitas invejam - tem a sensação de jelly em determinados movimentos. Porque pode não haver "jelly" mas existem órgãos internos que se mexem. Mais do que pensamos... Quem tem uma flat tummy normal - aquela barriga que achamos ser barriga e que os outros (todos) apontam em tom de gozo afirmando que isso - aquilo - não é barriga. Essas pseudo barrigas ou pseudo flat tummy também fazem o jiggy with it do Will Smith.

O video é do Movement Foundation, um movimento que procura restabelecer a auto-confiança, auto-estima e uma imagem corporal positiva em todas as mulheres, especialmente nas mais jovens, constantemente bombardeadas por imagens contraditórias em relação ao corpo e ao que é natural. 

Embracing our ‘belly jelly’ and celebrating that women are physically strong despite a little jiggle, is a powerful statement and, one we hope will inspire women and girls across the country.
— Jenny Gaither, Founder of Movement Foundation

O vídeo recorda-nos como somos bonitas quando nos despimos de preconceitos, quando assumimos o que somos e quem somos, mostrando-nos tal e qual estamos. Com jelly ou sem jelly, com mais ou menos jelly, estas mulheres DGAF e nós também não deveríamos dar.

Amanhã, #BellyJelly e top curto durante o exercício, combinado?

Repeat after me: SA RAN DON

Repeat after me: SA RAN DON

Curves ahead