olá.

bem vindos ao urbanista, um magazine de estilo que assume opiniões sobre temas da vida urbana.

Once a dancer, always a dancer (dançar não se esquece)

Once a dancer, always a dancer (dançar não se esquece)

A Adrianne Haslet-Davis era bailarina de danças de salão.

Perdeu a perna esquerda no atentado de Boston em 2013.

É um exemplo de como não podemos deixar que sejam os acontecimentos da nossa vida a definir quem somos. Como afirma é uma sobrevivente,  não uma vítima, que se define pela forma como vive a sua vida. O facto de ter perdido a perna esquerda não poderá ser o que a define.

You realize what kind of life you lived, and that flashes before you, and then you realize what kind of life that you want to live after.
— Adrianne Haslet-Davis

Ouvir que não poderia voltar a dançar, porque o médico que o afirmou, acrescentando, também, que nunca viu um amputado fazê-lo, terá sido das coisas mais difíceis que ouviu.

Re-aprendeu a viver. E dança. Porque a dança lhe dá a liberdade que todas as pessoas desejam. Por isso, da próxima vez que pensarem que está tudo mal, que as pernas são gordas, que o cabelo está feio, que somos baixas. Ou altas... Pensem que não nos podemos definir pela derrota. Adrianne está a treinar para correr a próxima maratona de Boston. Agora, qual o grau de relevância daquele pequeno problema que nos persegue?

Não sei como conseguiu, mas sei que para conseguirmos o que quer que seja temos de acreditar que conseguimos. Acreditar em nós mesmos contribui para a nossa capacidade de realização, permite-nos perseguir sonhos que, de outra forma, não passam de ideias que nos ocorrem e que ignoramos. Há quanto tempo não acreditam que podem (e devem) lutar por um sonho? O vosso sonho? Há desafios contínuos e diários que nos impedem de alcançar esse sonho. Eu sei isso e todos sabemos. Desistir é deixar o medo vencer. Desistir é não conseguirmos superar as nossas incertezas. vencer é ser capaz de organizar, conhecer, reflectir e preparar o que nos levará a atingir o resultado final, aprendendo com os erros pelo caminho, fazendo correcções e mantendo o foco. Não há sonho? Não faz mal. Há certamente pequenas coisas que nos deixam felizes e das quais nos esquecemos na correria rotineira do dia-a-dia, verdade? É importante pensar no que nos dá verdadeiro prazer e não abdicar, manter o optimismo com os objectivos em mente para atingir o que nos propomos e, pelo caminho, celebrar todas as pequenas conquistas. A Adrianne decidiu voltar a dançar. Agora treina para correr a maratona. Sonho? Não. determinação.

 

Smile. Sorrir. It's the best you can wear. O teu melhor outfit.

Smile. Sorrir. It's the best you can wear. O teu melhor outfit.

O problema não é o corpo. É a sua imagem.

O problema não é o corpo. É a sua imagem.