Sabores de outono: 2 truques para um Inverno em bom e um brunch para preparar...

Ainda está sol, não está frio mas estamos num período de transição entre o verão, rico em cores e frutos, e o inverno, mais limitado. Tal como no verão alguns alimentos estimulam a melanina para nos proteger do sol, o tempo frio pede outro tipo de alimentos que nos podem proteger das agressões exteriores. Não sou nutricionista, mas como dizem os americanos, sou self taught. Tornei-me auto-didacta em relação à minha saúde e alimentação porque não encontrei, na abordagem tradicional, respostas às minha necessidades. E, por isso, fui procurar uma filosofia de vida com a qual me identificasse, alterando não apenas a alimentação.

Foi assim que descobri  um sistema holístico que integra a nutrição e outras práticas para uma abordagem completa à nossa saúde. Chama-se Ayurveda e inclui a prática respiratória - pranayama - de que falei neste artigo, meditação - trabalhar a mente é igualmente importante -, e yoga. Do que tenho aprendido, a nutrição ayurvédica funda as suas escolhas nas características das estações do ano o que faz todo o sentido, já que as nossas necessidades também mudam de acordo com as características do estado do tempo.

IMG_0343.JPG

O outono é um período de transição dominado pela força do vento que provoca a renovação. Devemos, nesta fase - como em todas - comer muitos frutos da época, nomeadamente maçãs e pêras, muito ricas em fibras. Estas vão contribuir para drenar os excessos acumulados no verão e fazer o intestino funcionar de forma regular (ou mais regular). O consumo de bebidas quentes deve aumentar porque a diminuição da temperatura exterior diminui a temperatura do nosso corpo e as bebidas frias obrigam a um esforço adicional para manter a temperatura.  O que implicar esforço de equilibro contribui para diminuir a capacidade de resposta do sistema imunitário, por isso é tão importante usar a alimentação para aumentar as nossas defesas!

IMG_0340.JPG

A nutrição ayurvédica recomenda chás de ervas e, à refeição, a salada fria e húmida deve ser substituída por vegetais grelhados, salteados ou estufados, temperados com ervas aromáticas como o mangericão, coentros, cardamomo ou canela, que também contribuem para a harmonia e processo de transição do calor para o frio. O começo do dia deve ser com água morna e limão. Ou gengibre. Prefiro o gengibre. Percebi que faz muito pela nossa saúde pelo que, tal como lavar a boca com pasta de dentes assim que acordo, este tornou-se um dos meus rituais diários. Experimentem. Vão ver diferenças!

Nesta altura há quem esteja a pensar na parte de lavar os dentes... Conhecem aquele clássico dos filmes - e da vida real, na verdade - da primeira noite com um date? A primeira coisa que fazemos ao acordar é correr para o quarto de banho, lavar os dentes voltando rapidamente para a cama lindas e  maravilhosas... Queremos todos parecer espectaculares, evitando a ideia de que o corpo tem cheiro... Fazêmo-lo por pura parvoíce do enamoramento e amor mas, na realidade, é o melhor que podemos fazer pela nossa saúde.

O intestino é o nosso segundo cérebro e o único que funciona activamente durante a noite, terminando processos digestivos e reequilibrando o sistema, eliminando o que não interessa. O que não interessa - bactérias, por exemplo - ficam a circular no organismo antes de serem expelidas. Como o corpo está em descanso, relaxado e na posição horizontal, facilmente sobem até ao sistema respiratório, alojando-se no local mais quente e húmido que encontram - a nossa boca.

Lamento mas o mau hálito não é apenas o que comemos, é também aquilo que o nosso organismo quer eliminar e que, por vezes, fica perdido na cavidade bucal. Pois. É isso mesmo. Vem do intestino, percebem a ideia? Lavar os dentes (ou seja, lavar a boca) assim que acordamos é o melhor que podemos fazer. Por nós. Não por aquele que está na cama ao nosso lado.

A água quente vai estimular as contracções do sistema digestivo, ajudando a expelir o que se acumulou e que não interessa. Da mesma forma, limão ou gengibre têm uma componente diurética que ajuda à eliminação de toxinas. Além disso, alho ou pólen são ingredientes fundamentais para reforçar o sistema imunitário que, nesta altura, precisa de um reforço para combater algumas mudanças drásticas de temperatura ou níveis de humidade.

IMG_0348.JPG

Comer para viver (melhor) é diferente de viver para comer e, por isso, vou partilhar, muito brevemente, o ebook no qual tenho estado a trabalhar, que compila muito do que já escrevi sobre a minha alimentação, rituais e receitas, incluindo os vários passos contra a sinusite. A este ebook vou juntar comida preparada com amor  num brunch com o The Therapist, no Lx Factory em Lisboa, e para o qual estão todos convidados!!

Apontem na agenda: dia 1 de Novembro, um brunch assim-assim interactivo com as minhas opções preferidas e as razões pelas quais cada alimento pode ser um #moodboster ou #immunebooster ♡